Normas ISO

As especificações e testes dos equipamentos de proteção contra os efeitos térmicos de fogo repentino também estão contemplados nas normas da ISO (InternationalOrganization for Standardization). Para a proteção contra arco elétrico, as normas são feitas em colaboração mútua com a ISO e IEC (International Electrotechnical Commission).

Fogo Repentino

ISO 11612
Estabelece os requisitos mínimos de desempenho para vestimentas de proteção contra calor e chamas, que podem ser usadas para uma ampla variedade de usos finais e se destinam a proteger o corpo do trabalhador, exceto as mãos, contra o calor e as chamas. O teste deve ser realizado em manequim instrumentado de acordo com a ISO 13506, com tempo mínimo de exposição de 3 e máximo de 4 segundos, ou até 8 segundos para multicamadas, embora não estabeleça um limite máximo para porcentagem de queimaduras, como a NFPA 2112. As especificações são de acordo com os regulamentos em vigor no país de origem.

ISO 13506
Testa a vestimenta de proteção completa contra o calor e as chamas usando um manequim instrumentado para avaliar o comportamento e a resistência ao fogo repentino. Essas avaliações são registradas graficamente por meio de sensores que, devido à sua precisão, podem medir todos os graus de queima. Após a aplicação da chama pelo tempo determinado na ISO 11612, a leitura é feita por um período de até 60 segundos, para uma camada, ou 120 segundos, para multicamadas, após cessar a chama, para avaliar a possibilidade de queimaduras neste intervalo.

O laudo conclusivo deve registrar o tempo de exposição às chamas, as áreas de queima em porcentagem, o comportamento da amostra (se houve emissão de fumaça, encolhimento, intensidade e duração da pós-combustão), volume de fumaça gerada durante e após o teste, estabilidade dimensional, entre outros fatores.

ISO 15025
Estabelece dois métodos de teste para limitar a propagação da chama. A pós-chama em ambos os métodos deve ser inferior a 2 segundos. Podem ser avaliadas tanto amostras têxteis quanto amostras que contenham todos os tipos de insumos que compõem a roupa externamente (velcro, zíperes, linha, etc.).

Arco Elétrico

IEC 61482-2
Estabelece os requisitos mínimos de certificação, sendo semelhante à ASTM F 1506. Permite a avaliação do vestuário por dois métodos: IEC 61482-1-1 ou IEC 61482-1-2.

IEC 61482-1-1
Avalia o desempenho de materiais têxteis ou de vestuário na presença de arco usando dois métodos. O primeiro, método A, determina ATPV (semelhante a ASTM F 1959), HAF e quebra em amostras de tecido; o segundo, método B (semelhante ao ASTM F 2621), avalia o desempenho das características construtivas da roupa em um manequim instrumentado.

Como pré-condição para a realização do ensaio, é necessário que os materiais têxteis atendam aos requisitos da ISO 15025 quanto à extensão da carbonização, que deve ser inferior a 100 mm, e a pós-chama, que deve ser inferior a 2 segundos. Ele difere da NFPA 70E por não o separar em categorias de risco.

IEC 61482 1-2
Avalia o desempenho de tecidos ou roupas na presença de arco elétrico usando o método da caixa (Teste de Caixa). Ele classifica os materiais testados em duas classes de proteção:
• Classe 1 – Corrente de teste 4 kA – 3,2 cal/cm².
• Classe 2 – Corrente de teste 7kA – 10,1 cal/cm².
Usa as informações de ATPV de acordo com o método A. IEC 61482-1-1.

pt_BR